Pelos Caminhos da Mouraria

nl13-1.0

A aventura do “Ó Mouraria, ilumina a montra!” começou há cerca de um ano, quando a Associação LabLD se propôs a realizar uma actividade num bairro histórico da cidade de Lisboa na área do design de iluminação.

nl13-1.1

Fiquei um pouco apreendida com a nomeação para integrar a Comissão Organizadora, em apoio à Sara Roby, nossa Coordenadora e em conjunto com a Presidente da LabLD, a Arq.ta Maria João Pinto Coelho, uma vez que nunca havia participado na organização de um evento deste âmbito a obrigar o contacto com as entidades a envolver e todo um conjunto de tarefas a realizar e antecipar de forma a concretizar esta iniciativa. Vejo agora, com o culminar dos trabalhos, que o evento obteve uma boa adesão e foi elogiado por todos os envolvidos, não havendo motivos para tal apreensão.

O contacto com os lojistas e moradores do bairro começou cedo, bem antes da acção em si. Foi necessário fazer alguns percursos pelo bairro, conhecer as lojas existentes e perceber quais seriam, de entre a variedade existente, as que melhor se poderiam enquadrar no concurso. Para tal, foi indispensável o apoio da Associação Renovar a Mouraria, nossa parceira nesta Acção.

Após a escolha das potenciais lojas, passámos ao contacto com os lojistas. Alguns aceitaram a ideia de imediato e ficaram entusiasmados com a possibilidade de contribuírem para a iniciativa, embora desconhecessem o termo Design de Iluminação e a sua importância. Outros mostraram algumas reservas, pois para muitos a montra é mais um espaço de arrumos do que expositivo e, também, não viam como uma vantagem o facto de terem o espaço da sua loja condicionado durante três dias.

nl13-1.2

Foi, então, necessário definir os procedimentos para intervir nas montras por parte dos designers de iluminação. Após o sorteio das lojas pelos designers, membros efectivos da LabLD estes puderam visitar os espaços e conversar com os lojistas, no sentido de conhecerem e definirem quais seriam os produtos a expôr para a valorização da imagem da sua loja. A partir deste contacto, elaboraram um conceito de intervenção na montra que seria, depois, trabalhado pelos participantes do concurso. Contando sempre com o apoio incansável dos patrocinadores da Acção, que colaboraram de forma a providenciarem a respectiva selecção de luminárias solicitadas pelos Designers que lhes foram destinados ficou assim possível proporcionar aos participantes as diferentes opções para a intervenção, (como temperaturas de cor, ângulos de abertura, difusores variados, sistemas de LED) o que permitiu algumas experiências e acentuou a vertente educativa do concurso.

nl13-1.5

Chegado o dia do início da acção, com as equipas recentemente formadas e atribuídas aos Designers no próprio dia, começou um burburinho pelas ruas da Mouraria. Três dias, rua acima e rua abaixo, com risadas e muito trabalho, o entusiasmo de alunos e Designers era evidente. Num ambiente aberto, de partilha de ideias e contacto com os lojistas, foram sendo trabalhadas formas e surgindo cores e luzes nas montras do Bairro.

A curiosidade dos que passavam era muita. A interacção com outros comerciantes e habitantes do bairro foi propícia a um maior impacto da acção entre todos. O que ao início parecia estranho, o percorrer das ruas carregados com projectores e calhas, a preocupação com a orientação das luzes e a hora solar, as experiências nos armazéns escuros, as pinturas nos passeios em ruas estreitas… Tudo se tornou normal ao fim da primeira tarde de trabalho.

Era notória a satisfação dos lojistas. A ajuda prestada e a simpatia com que nos receberam foi essencial. Desde o cafezinho, a água e os brindes com vinho do Porto, às conversas divertidas e fotografias de grupo, passando pela ajuda na elaboração das montras, com certeza, algumas amizades ficarão. Em lojas pequenas e com montras pequenas mas, com pessoas grandes e com muita generosidade. Sem dúvida, uma bela experiência para todos.

nl13-1.4

O trabalho foi intenso e, apenas uma montra podia ser vencedora. O veredicto foi anunciado no jantar de encerramento da Acção e o lugar de destaque seria para a Loja Guebarro, retrosaria. A deliberação foi realizada por um júri multidisciplinar, em que os membros foram:

a Presidente da LabLD, acompanhada pelo orador da Acção, Michael Grubb como representantes da profissão de design de Iluminação; a representante da Vereadora do Pelouro da Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa, Dra. Inês Gil; o Arquitecto Miguel Varela Gomes, Secretário do Concelho Directivo Nacional da Ordem dos Arquitectos; e, ainda, o Designer Gráfico Hugo Henriques, da Associação Renovar a Mouraria.

nl13-1.3

São notórias as diferenças e o impacto que esta acção de intervenção e valorização do comércio local teve no bairro. Os habituais clientes das diferentes lojas, turistas e moradores observam e fotografam as montras, elogiando todo um trabalho que, afinal, deu frutos. Apesar da resistência inicial, foi muito positiva a atitude de quem habita e frequenta a Mouraria. Quem sabe se, da mescla desordenada, se impõe a ordem e o equilíbrio?

Paula Pinote
. Fotos inseridas pela ordem do percurso efectuado pelo júri.