TM-30-15: novo método de análise da reprodução cromática

O memorando técnico TM-30-15 foi lançado em 2015 pela IES “Illuminating Engineering Society” e consiste num novo método para analisar a reprodução cromática das fontes de luz 1. A IES tentou assim criar uma alternativa ao índice CRI (índice de reprodução cromática), introduzido pela CIE “Commission internationale de l’éclairage” em 1965. O índice CRI é ainda hoje uma referência aparecendo na grande maioria das especificações técnicas de aparelhos de iluminação. Existem também inúmeras publicações que recomendam valores mínimos de CRI para as diversas áreas de aplicação (escritórios, auditórios, cinemas, etc).

A IES tentou assim criar um novo método que sirva melhor os interesses da indústria de iluminação e seus intervenientes incluindo fabricantes, designers de iluminação, engenheiros, entidades dedicadas à iluminação e utilizadores finais. O novo TM-30-15 pretende ser mais rigoroso quanto aos testes realizados a cada fontes de luz. Um exemplo são as 99 cores padrão utilizadas para avaliar as fontes de luz. O método CRI utiliza apenas 14 cores para o mesmo efeito.

Quanto aos resultados também aqui o método TM-30-15 é mais completo. Assim enquanto o CRI produz um só valor (Ra), o TM-30-15 produz dois (Rf e Rg). O valor de Rf classifica a fidelidade com que as cores são reproduzidas. É um valor idêntico ao índice de reprodução cromática Ra, mas obtido através um processo mais rigoroso de acordo com a IES 2. O valor vária de 0 a 100 e quanto mais perto de 100 for o resultado final, melhor é a fidelidade da fonte luminosa em questão. O segundo valor (Rg) destina-se a identificar quais as fontes que saturam mais ou menos as diversas cores. Esta é uma informação nova que não existia com o CRI. Um valor de Rg igual a 100 significa que a fonte em análise e a fonte de referência mostram as diversas cores com uma saturação equivalente. Valores superiores a 100 significam que as cores aparecem mais saturadas e valores inferiores a 100 o contrário.

De seguida pode-se ver um exemplo de uma ficha técnica retirada do fabricante de Leds Soraa. Aqui já aparecem para comparação, os valores antigos de CRI (Ra=95) e os novos de TM-30-15 (Rf=90 e Rg=100), para além de outros índices alternativos publicados pela marca Soraa. O TM-30-15  também pode facultar um gráfico como o que aparece indicado como “color accuracy”. Neste estão sobrepostos os resultados obtidos com a fonte de luz em análise e a fonte de referência. Quando os resultados da fonte em análise são iguais à fonte de referência então os dois círculos coincidem e os valores de Rf e Rg são ambos iguais a 100. Este gráfico pode ser útil para analisar a performance da fonte de luz em relação às várias cores analisadas.

pp_tm3015_01

Características técnicas de lâmpada LED Soraa 3

Outro exemplo é a tabela em baixo com valores de CRI e TM-30-15 para diferentes fontes luminosas. De salientar que com a exceção da primeira fonte (SON), em todas as outras os valores de Rf e Ra são muito semelhantes 4. Quanto a Rg a lâmpada de White SON mostra as cores ligeiramente mais saturadas (Rg = 105), e as lâmpadas Cosmo e SON mostram as cores menos saturadas com valores de Rg de 87 e 57. De referir que com índices baixos de Rg (inferiores a 100) as cores aparecem menos apelativas e com índices altos (superiores a 100) mais vividas. Em ambas as situações há um compromisso com a fidelidade da cor, uma vez que as cores se mostram alteradas quando comparadas com a fonte luminosa da referência.

pp_tm3015_02

Valores CRI e TM-30-15 para diferentes fontes luminosas

As opiniões sobre este novo método de classificar a reprodução cromática dividem-se. Há quem defenda que este método não é perfeito mas ajuda a provocar um debate internacional acerca da reprodução cromática, e há também quem defenda que este método não acrescenta muito ao já existente CRI. No entanto é um facto que alguns fabricantes já publicam os resultados das suas fontes de luz com os valores Rf e Rg. O futuro mostrará se o método TM-30-15 é, ou não, uma ferramenta importante para classificar a reprodução cromática das fontes luminosas.

Pedro Pinto

  1. The Society of Light & Lighting. Lighting Res. Technol. 2015; Vol. 47: 1029–1034 Correspondence: In support of the IES method of evaluating light source colour rendition. London CIBSE, 2015.
  2. U.S. Department of Energy. Energy star webinar. Evaluating color rendering with TM-30 (https://www.energystar.gov/sites/default/files/asset/document /TM-30%20ES%20(Final)_0.pdf). Washington DC, 2016.
  3. Ver caracteristicas técnicas das lâmpadas de Leds Soraa. (https://www.soraa.com/products/19-MR16-GU10).
  4. LUX magazine. LUX webinars 2016 series. IES TM 30 method for evaluating light source colour rendition. Peter Raynham, UCL Institute for Environmental Design and Engineering.(https://event.on24.com/eventRegistration/EventLobbyServlet?target=reg20.jsp&partnerref=WS&eventid=1107670&sessionid=1&key=D10FE6D23F4163C6281CBF6C2AD06B40&regTag=&sourcepage=register). London, 2016

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.